Em Dezembro de 2016, em parceria com a Prefeitura Municipal de Fortaleza, no âmbito do Plano Fortaleza 2040, foi elaborado as diretrizes do Plano Urbanístico do Distrito de Inovação em Saúde de Porangabussu, o qual teve seu detalhamento (plano urbanístico específico) concluído em setembro de 2018, por meio de parceria entre o Governo do Estado (Secretaria das Cidades) e a Prefeitura Municipal de Fortaleza (Instituto de Planejamento de Fortaleza- Iplanfor).

Em 31 de janeiro de 2018 ocorreu a solenidade de lançamento do projeto do Distrito de Inovação em Saúde de Porangabussu, Viva@Porangabussu, à beira da lagoa, com forte presença da comunidade, das maiores lideranças políticas do Estado (de inúmeros partidos- direita, centro e esquerda), dirigentes dos maiores grupos econômicos do Ceará, além de diversas autoridades do Município de Fortaleza (Prefeito,  Secretários Municipais, Vereadores) e do Estado do Ceará (Vice Governadora, Secretários de Estado). O evento foi coordenado pelo Dr. Cabeto, então coordenador do projeto designado pelo Governador Camilo Santana. 

 

A região no entorno da lagoa de Porangabussu, apresenta características bastante atrativas para o reordenamento urbano propício à estruturação de um Distrito de Inovação em Saúde (DIS). Localizada no bairro Rodolfo Teófilo, sedia os principais hospitais de referência de Fortaleza, como a Maternidade-Escola, Hospital Universitário Walter Cantídio, Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (HEMOCE), Instituto do Câncer do Ceará (ICC), e Instituto de Ciências Médicas (ICM), o centro universitário da Universidade Federal do Ceará para os cursos de medicina, odontologia, farmácia, enfermagem e fisioterapia, e o Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM).

No entanto, embora a área da saúde gere riqueza, a forma como está disposta a estrutura existente vem gerando renda exclusivamente para os profissionais da saúde que trabalham nessas instituições, perseverando no bairro e entorno uma grande desigualdade social. Portanto, sob a ótica do desenvolvimento socioeconômico, a região oferece desafios como a baixa oferta de serviços públicos integrados, infraestrutura urbana e de transporte público inadequados, baixo nível educacional dos habitantes, meio ambiente degradado, espaços públicos inadequados à integração e ao convívio social, baixo nível educacional e de qualificação profissional da população residente (o que dificulta a inclusão produtiva), alto índice de violência urbana, assentamentos precários, e ausência de escola integral para ensinos médio e fundamental.

 

A implantação do Distrito de Inovação em Saúde de Porangabussu deve gerar melhoria do contexto urbano com uma reorganização territorial e estrutural que minimize a possibilidade de especulação imobiliária, gerando desenvolvimento de oportunidades de negócios na área da saúde e afins, desenvolvimento do comércio e serviços locais, maior oferta de serviços integrados e gratuitos de saúde de alta qualidade, ampliação de oportunidades de emprego e renda, formação de profissionais preparados para as demandas do mercado de trabalho, criação de postos de trabalho de alta qualificação para aumento da renda familiar da população residente na região.

 

A presença atual de habitantes e de universidades, instituições e empresas vinculadas ao setor de saúde como elementos motores deverá ser complementada com a atração de novas empresas e o desenvolvimento de startups. O desenvolvimento de novas infraestruturas sobre as já existentes irá requerer um plano de transformação específica, norteado pelo Plano Urbanístico Específico já desenvolvido para o território.

O Distrito de Inovação em Saúde de Porangabussu abrange os bairros Rodolfo Teófilo, Damas, Amadeu Furtado, Jardim América e Benfica na cidade de Fortaleza (os quatro últimos apenas parcialmente).

 

Dados da poligonal do Distrito:

    • Área da Poligonal do Distrito de Porangabussu: 183,8 ha

    • Área total das novas construções residenciais diversificadas: 300.000 m²

    • Área total para novas construções para abrigar novos negócios e instituições: 81.000 m²

    • Área verde: 32,9 ha (18% da poligonal)

    • Área da lagoa: 9,2 ha

    • Área recreacional da lagoa de Porangabussu: 2,5 ha

    • Área destinada à agricultura urbana: 3,0 ha

 

 

A imagem ao lado apresenta os limites do território do Distrito de Porangabussu por meio da linha em amarelo, que circunscreve todo o core onde se localiza o Campus de Porangabussu da UFC, os conjunto de hospitais (estadual, federais, filantrópicos), hemocentro, núcleos de pesquisa e espaços de lazer. A linha em vermelho demarca a linha do metrô Norte-Sul, que passa ao lado de grande avenida da cidade.

Seguindo a perspectiva da complementaridade, o Distrito de Inovação em Saúde terá foco na cadeia de serviços, ciências da vida e desenvolvimento de tecnologias médicas. Para tanto faz- se necessário ativar um conjunto de programas transversais que fortaleça o cluster.

Além dos programas acima citados, o território deverá abrigar um conjunto de empresas, equipamentos, infraestrutura e serviços de apoio para se tornar atraente e funcional.

Além do Plano Urbanístico Específico do Distrito de Porangabussu, foi elaborado pela equipe técnica do Iplanfor um diagnóstico ambiental e estudo preliminar do projeto de reurbanização da Lagoa de Porangabussu e seu entorno. O projeto executivo e a execução das respectivas obras serão realizadas com recursos do Governo do Estado.

VIVA@PORANGABUSSU

VIVA@CEARÁ